segunda-feira, 11 de julho de 2011

DONNAIRES - UM NOVO PROJECTO NO DÃO!

Decorrido tanto tempo sobre a minha fase “mais presente” enquanto wineblogger, muitos já me haviam, certamente, como uma desistente! Se o pensaram…tiveram toda a razão! Estive, de facto, ausente durante muito tempo. Questões pessoais e afazeres profissionais assim o determinaram. 
No entanto, não o poderei negar, que a tudo isso se terá somado uma certa decepção com a dita “indústria do vinho” em Portugal e alguma dose de incredulidade sobre a “mais valia” que os winebloggers possam, eventualmente, acarretar para o desenvolvimento e transparência de todo este sector! 
Quanto à primeira questão…nada a fazer! Mea culpa, mea culpa…quem me mandou construir castelos na areia???
Quanto à segunda, e após longo período de reflexão, as conclusões a que cheguei são manifestamente favoráveis à minha permanência e, indesmentivelmente, deveras apologistas da defesa e do reconhecimento daqueles que, movidos por uma enorme paixão e desprovidos de quaisquer apoios financeiros, teimam em “erguer a bandeira”, promovendo, sem contrapartidas, o produto – VINHO!  
Escolhi para regresso, uns vinhos que estão agora a dar os seus primeiros passos! Trata-se de um projecto muito pequeno, que tive o privilégio de conhecer e acompanhar. Projecto esse que, dada a sua qualidade e a paixão e o cuidado com que é conduzido, me fez, de certa forma, transportar para os apaixonantes "petits vignerons" da famosa Borgonha! 
Os rótulos exibidos são ainda uma mera amostra daquilo que poderá vir a ser a sua imagem oficial, sendo que a maquete do tinto nem sequer é a da colheita provada. Entendi publicá-los para que possam ter uma ideia daquilo que irá, muito provavelmente, ser o seu aspecto final. 
Para aqueles que me seguiam (poucos…diga-se de boa verdade), as minhas sinceras desculpas. Procurarei, doravante, voltar a merecer a vossa valiosa atenção.
Assim sendo, aqui ficam as minhas impressões sobre estes vinhos prestes a sair para o mercado…

DONNAIRES ROSÉ 2010
De um rosado intenso e definido, este vinho, maioritariamente elaborado a partir da casta Touriga Nacional, apresenta um aspecto limpo e cristalino.
O seu nariz revela uma intensidade aromática discreta e elegante, onde predominam os frutos vermelhos, tais como morangos, cerejas e framboesas. Sendo notória uma ligeira mineralidade é, no entanto, a sua componente vegetal que lhe confere uma certa “finesse” e profundidade olfactiva.
Na boca mostra-se bem estruturado, com a fruta e as nuances vegetais em perfeita harmonia. Possui uma frescura correcta e uma acidez muito bem conseguida, as quais, associadas ao seu carácter mais seco, lhe atribuem um elevado potencial gastronómico. O seu final é de média intensidade, sendo, contudo, bastante cativante.
Não obstante a sua alegada mestria à mesa, não deverão ser descuradas a suas aptidões para funcionar como um excelente aperitivo.
Diria que se trata de um rosé de perfil mais sério e viril, que seduz e atrai pelo bom equilíbrio global dos seus componentes.
Nota pessoal: 16,5

DONNAIRES TINTO 2009
Bastante concentrado na cor, de um rubi profundo com abundantes tons violeta, este tinto ainda jovem exibe um “bouquet” dominado por notas de fruta preta e madura de boa qualidade.
Ameixas, amoras e mirtilos harmonizam na perfeição com notas balsâmicas e alguns laivos especiados. A madeira não se faz sentir em demasia, conferindo-lhe, de forma subtil, já uma certa complexidade. Delicadeza e requinte, definem bem o seu carácter aromático.

Na boca entra seguro e envolvente, revelando bom corpo e bom volume. Não obstante a sua juventude, os seus taninos firmes são também suaves e redondos, o que lhe permite exibir a elegância e nobreza tão peculiares aos vinhos da região que o viu nascer – o Dão.
Apesar de elegante, este tinto de bela acidez, possui também um vigor e um entusiasmo que lhe irão, certamente, permitir crescer de forma consentânea e promissora. Termina de forma longa e harmoniosa.
Em suma, estamos, seguramente, na presença de uma tinto simultaneamente frutado e terroso, firme e volumoso, macio e sedoso. Um vinho com muito para nos dar!
Nota pessoal: 16,5

11 comentários:

Pingus Vinicus disse...

Parabéns pelo teu regresso. fazes falta, como já te disse.
Lanças algumas questões que, como sabes, tento trazer à baila junto do povo. Na maior parte das vezes, sinto que falo para a parede ou prego para os peixes. Mas mesmo assim, continuarei a pregar, picar na moleirinha dos outros.
Sobre os vinhos, fala-me um pouco mais sobre o produtor, pois como sabes sou um seguidor dos vinhos do Dão.
Um beijo, se me permites.
Rui

OLGA MAGALHÃES CARDOSO disse...

Permito e agradeço!
O produtor chama-se Carlos Gomes e tem uma pequena propriedade na região de Tábua. Está a dedicar-se bastante a este projecto, andado, ele próprio, constantemente no meio das vinhas.
Falamos de um projecto realmente pequeno, mas com 2 belíssimos vinhos.
Não te sei dizer muito mais, mas se tiveres interessado em visitar a Quinta e conhecer os vinhos, julgo que poderei intermediar esse encontro!
Um beijo Rui e muito obrigada pelo apoio

J@n31r0 disse...

Olá Olga,
Também eu fico contente com o teu regresso ao Blog. Espero que essa fase tenha passado e que encntres nova motivação para continuar até porque sempre gostei de ler as tuas linhas.

Abraço

OLGA MAGALHÃES CARDOSO disse...

Obrigada Carlos!

É muito estimulante ler estes vossos comentários.

Parabéns pelo teu blog. Está muito interessante e eu estou a tornar-me
uma leitora mais assídua!

Jota disse...

E pode-se saber quem é o Enólogo responsável pelo vinho?

OLGA MAGALHÃES CARDOSO disse...

Jota,

Claro que pode! A vinificação está a cargo da Wines & Vines.

Hugo Mendes disse...

Bem-vinda de volta!
Se me permite, a mais-valia do enoblogue não existe na forma colectiva. Existem uns válidos e outros inválidos, como tudo nesta vida!
A Olga é certamente válida, por isso faz falta! Simples não?
Um beijo!
HM

rafa bernabe disse...

suerte con este nuevo proyecto

Nuno Ciríaco disse...

Olá Olga. Ainda bem que ponderou e regressou a estas andanças. Pessoas como a Olga fazem sempre falta. Quanto aos vinhos, gostava de os provar, fiquei curioso. Já agora, quais os preços praticados?

Um beijo,
Nuno

OLGA MAGALHÃES CARDOSO disse...

Olá Nuno,

Se a memória não me falha, o rosé anda na casa dos 5 € e o tinto na casa do 10 €.

Um beijo

OLGA MAGALHÃES CARDOSO disse...

Hugo,

Muito obrigada :-)

Um beijo