quarta-feira, 4 de novembro de 2009

FP ENSAIOS BRANCO - ARINTO E BICAL 2007


Região: Beiras
Produtor: Filipa Pato
Enólogo: Filipa Pato
Castas: Arinto (50%) e Bical (50%)
Vol. Álcool: 12%
P.V.P.: +/- € 6,00

Filipa Pato é uma das enólogas da nova geração que mais tem dado que falar nos últimos tempos. Filha de um dos mais conhecidos e respeitados produtores de vinho da Bairrada - Luís Pato, cedo abandonou o proteccionismo das “asas” paternas e lançou-se em arrojados voos a solo.
Com formação académica em engenharia química, a Filipa iniciou a sua carreira profissional com um périplo por países muito fortes no que concerne à produção de vinhos - França, Argentina e Austrália. Quando voltou decidiu aplicar toda a experiência e know-how adquiridos na elaboração de vinhos próprios, que ela própria define da seguinte forma: São vinhos complexos, com capacidade de envelhecimento, mas que estão mais próximos do público jovem, ou seja, frutados mas com complexidade.
A Filipa Pato tem-se tornado, efectivamente, numa grande referência regional e nacional, capaz de produzir vinhos irreverentes e originais, vinhos que respondem pelas suas origens e pelo seu terroir e que, tal como ela, detêm uma personalidade muito própria.
No que ao vinho objecto desta nota de prova diz respeito, devo dizer-vos que ele me surpreendeu pelo seu lado bem disposto, pela sua postura alegre mas ao mesmo tempo séria e sensata. Uma espécie de compromisso entre a modernidade e a tradição. Aliás, associar técnicas inovadoras a algumas práticas tradicionais na vinha e na adega, espelham não só a prática diária desta enóloga, como também a sua filosofia.
Estamos realmente perante um vinho muito bem feito, que exibe uma cor de um forte amarelo palha esverdeado, onde os aromas frutados de lima e limão, provenientes da casta Arinto, estão bem presentes, mas onde notas mais cremosas e caramelizadas oriundas da casta Bical também se fazem sentir com igual intensidade.
Com evidentes toques minerais, este vinho revela uma boca com um corpo assaz robusto mas muito bem sustentado por uma notável acidez.
Um vinho bem estruturado e gastronomicamente versátil, que nos deixa um final de boca macio e algo frutado.
Este néctar é parcialmente fermentado (cerca de 30%) em barricas de carvalho francês já usadas. De facto, a Filipa sabe usar a madeira com a devida subtileza e nunca faz acréscimos de açúcar ou ácidos ao mosto para compensar deficiências que em alguns anos, as alterações climáticas possam provocar.
Um vinho alternativo, que traduz correctamente as nobres características de textura, corpo e equilíbrio conferidas pelos melhores solos argilo-calcários.
E se filho de peixe sabe nadar…filho de pato, não só nada muito bem com também voa na perfeição...!
Nota: 16,5                                                                                   Olga Cardoso

2 comentários:

coutinho disse...

lol, belo final de prosa.
Também eu sou um fã deste vinho, ou melhor do FP Ensaios Branco de anos anteriores, dado que este eu ainda não provei.
De toda a tua crónica houve umas notas que me deixam sérias dúvidas quando se fala de um vinho da Bairrada com estas castas, que são as notas caramelizadas que não consigo imaginar muito bem num vinho tão jovem, mas estarei atento quando o puder provar.
De resto, a excelência de sempre.
Beijocas,
Hildérico Coutinho

Olga Cardoso disse...

Vais poder comprovar...! Não faltarão oportunidades para provarmos este vinho juntos e testar a valia desta nota. De qualquer forma é sempre uma honra merecer um comentário do meu grande percursor nesta coisa dos vinhos - Senhor Hildérico Coutinho...