sábado, 31 de outubro de 2009

QUINTA DOS POÇOS - GRANDE RESERVA TINTO 2005


Região: Douro 
Produtor: Quinta dos Poços
Enólogo: Pedro Sequeira  e António Rosas
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz e outras provenientes de vinhas velhas
Vol. Álcool: 14,88%
P.V.P.: € 18,00 - € 20,00


A Quinta chama-se dos Poços porque quando é intensa a pluviosidade na região brotam múltiplas nascentes de água no seu solo.
A Quinta dos Poços situa-se na Região Demarcada do Douro (Património da Humanidade), mais concretamente na sub-região do Baixo Corgo, na freguesia de Valdigem, concelho de Lamego. É uma das mais antigas da região, sendo a casa-mãe um típico solar rural do século XIII. Na mesma estacionaram tropas francesas do General de Brigada Loison, o “Maneta”, aquando da primeira invasão francesa, em 1808. Esta Quinta pertence à família do Prof. Doutor José Manuel da Costa Mesquita Guimarães.

A Quinta dos Poços estende-se por 25 hectares de solo xistoso, típico da região, dos quais 21 estão totalmente mecanizados em patamares e ao alto. As castas nela produzidas são, por ordem alfabética, o Dozelinho Tinto (3%), Rufete (4%), Souzão (6%), Tinta Barroca (18%) Tinta Francisca (3%), Tinta Roriz (18%), Tinto Cão (6%), Touriga Franca (20%) e Touriga Nacional (22%). Estas castas são consideradas as mais características e tradicionais da Região e, no terroir, encontram-se distribuídas em parcelas segundo a disposição mais adequada em termos enológicos.

Este vinho apresenta uma cor muito concentrada, de um intenso vermelho rubi.

A sua vinificação ocorreu em lagar tradicional com pisa a pé, tendo estagiado em barricas novas de carvalho francês, durante doze meses.

O seu nariz, embora ainda um pouco austero e reservado, sugerindo-nos a eventualidade de uma profícua guarda em cave, aparece dominado pelas suas frutas pretas e maduras, acompanhadas de perto por ligeiras notas de tabaco, café e torrefacção.

Na boca, demonstra maior suavidade e alegria, apresentando uns taninos domesticados e uma textura fácil e sedosa.

Um tinto com um perfil perfeitamente actual que, não obstante os seus aromas estarem ainda algo fechados, pode e deve ser bebido desde já, podendo proporcionar-nos, desde que servido em copos correctos e a temperaturas adequadas, momentos de verdadeiro prazer.  

Nota:  16                                                                                                                          Olga Cardoso 

* o texto em itálico foi retirado do site da Quinta dos Poços


Sem comentários: